Só o cume interessa





Fui com uma amiga conhecer a rampa de voo livre que

fica no topo do morro das Emerências entre os bairros de

Tucuns e José Gonçalvez. Escolhemos a trilha mais difícil

para alcançar o cume. Acesso difícil. Estreito, muitos

espinhos e pedras soltas. Mas incrivelmente limpo.

Levamos uma sacola para coletar lixo, mas só

encontramos um saco de salgados (ainda na praia), uma

mini garrafa de plástico e um copo descartável.

Agradecemos desde já todas as pessoas que frequentam

aquela área.

A previsão de subida da trilha do canto direito de Tucuns é

de meia hora. Fizemos em 40 minutos pois a cada cem

metros parávamos para admirar a paisagem e fazer umas

fotos. Foi mais fácil do que imaginávamos. As 16:10

alcançamos nosso objetivo. Mesmo ofegantes, nos veio a

certeza de que todo o esforço havia valido a pena. A vista

é impressionante. E de 360 graus. O que mais me

impressionou foi a mata preservada em direção a Praia do

Peró, já em Cabo Frio. Principalmente entre as praias de

José Gonçalves e Caravelas.


Sabemos que a rampa está dentro de um parque e que é

uma área frágil. Que não deve ser usada para o turismo de

massa. Mas um mirante naquele lugar seria um agregador

para o turismo na cidade. A trilha que sai do bairro de José

Gonçalvez é de fácil acesso e pouco íngreme. Ideal para

um passeio de ecológico. Esse tipo de turismo não

costuma atrair muita gente e essas pessoas costumam

respeitar o meio-ambiente.


Já o poder público bem que poderia fazer algum tipo de

investimento na rampa de voo livres. Nada que impactasse

o ambiente, mas que dotasse o lugar de uma estrutura

mínima para os apreciadores do esporte. A convivência

entre o turismo ecológico e os esportistas seria benéfica

com certeza pois lá são oferecidos voo duplos para aquelas

pessoas que desejam sentir o prazer de voar livremente.

Isso criaria empregos e com certeza ajudaria a manter

ainda mais preservado o lugar.


Sei que soa bacana essa ideia de se trancar uma área e não

permitir a presença humana para mantê-la preservada. Mas

é possível unir as duas coisas. Preservação e ocupação

com organização e respeito as leis ambientais. Búzios não

pode viver só de praia e noitadas. O turismo ecológico

deve ser explotado. Pois ainda temos o que mostrar e

mostrando sua importância e beleza, podemos tentar

preservar.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo