Ano que vem a gente vê

O prefeito Alexandre Martins, que teve junto com seu vice

Miguel Pereira o mandato cassado, conseguiu no Tribunal

Regional Eleitoral uma liminar que lhe permite permanecer no

cargo até que o mérito de seu julgamento seja analisado pelo TSE

em Brasília. O que deve acontecer lá para março ou abril do ano

que vem.


Essa ordem judicial é provisória e não modifica em nada o

processo e a condenação do prefeito e lhe permite apenas a

permanência no cargo até o trânsito em julgado na última

instancia. O réu tem esse direito pois em alguns casos, é possível

acontecer a revogação da condenação e, portanto, uma liminar

visa diminuir possíveis prejuízos.



Diga ao povo que por enquanto eu fico


De acordo com advogado Dr. Carlos Magno Soares de Carvalho,

que representa a coligação Força do Bem (PDT/PTB/PSC/DEM),

e que denunciou o prefeito de auso de poder econômico durante a

eleição de 2020, a decisão privilegia, neste momento, a não

alternância de poderes, visto que com a saída imediata do prefeito

e de seu vice, quem assumiria a cidade seria o presidente da

câmara, Rafael Aguiar, que não foi eleito para tanto. Fora isso,

nada muda.


“Como já havíamos adiantado, esta era uma situação esperada.

Faz parte do sistema. Continuamos confiantes na gravidade das

provas apresentadas e no resultado proferido pelo TRE/RJ.

Vencemos na primeira e na segunda instância e até abril

finalizaremos o jogo em Brasília,” declarou ao jornal Armação o

nobre advogado antes de embarcar para Paris onde passará uns

dias tomando vinho nacional acompanhado de escargots.


Então por enquanto é isso: prefeito e vice seguem no comando da

cidade e ano que vem saberemos se a cidade vai ter ou não

eleições suplementares. Façam suas apostas.

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo